As reclamações sobre golpes aplicados por entregadores de aplicativos de comida aumentaram 186% no Procon-SP. No ano passado, foram registrados 87 ocorrências de janeiro a maio.

Este ano, foram 249. Os relatos são de cobranças indevidas. Segundo o órgão, há casos de maquininhas com visor quebrado, cobrança de taxa extra pelo entregador e consumidores que recebem ligações do restaurante ou de uma “central de atendimento” do aplicativo informando a cobrança de uma nova taxa de entrega (e pedindo dados de cartão).

Além disso, há relatos em que o entregador afirma ter sofrido um acidente.

Apesar de reclamarem com a empresa responsável, muitos clientes não conseguem reaver os valores, diz o Procon-SP.

A soma dos valores reclamados pelos consumidores até junho deste ano é de quase R$ 500 mil — mais de R$ 200 mil do iFood, mais de R$ 200 mil do Rappi e quase R$ 80 mil do Uber Eats.

Como acontece o golpe

Geralmente, uma pessoa entra em contato com o cliente dizendo que é preciso pagar uma taxa extra para entrega;

O entregador chega com a maquininha e passa um valor muito acima do valor do pedido ou da taxa;

Normalmente, a maquininha está com o visor quebrado ou escuro, para que o cliente não enxergue o valor quando passar o cartão.

“Com a pandemia esses golpes aumenta.ram muito. Quem for vítima e for cobrado em valor incorreto deve acionar o Procon-SP. Nós iremos apurar a responsabilidade da empresa e acionar a polícia. As empresas de delivery devem responder pelos problemas e ressarcir o consumidor”, afirmou Fernando Capez, diretor executivo do Procon-SP, em nota à imprensa.

Campeões de reclamação iFood — 44 casos em 2020; 80 em 2021; aumento de 81%; Rappi — 29 casos em 2020; 105 em 2021; aumento de 262%; Uber Eats — 14 casos em 2020; 64 em 2021; aumento de 357%.

Dicas de segurança

Não utilize a máquina de pagamento se o visor estiver quebrado ou se ela não permitir a leitura dos dados de cobrança;

Confira o valor da compra e, de preferência, pague somente no aplicativo;

Não passe os seus dados pessoais por telefone;

Desconfie caso o entregador informe que é necessário pagar algum valor extra;

Caso tenha alguma dúvida, entre em contato com o local onde pediu a comida.

Fonte: UOL

Mediação do Morar